(Genebra) – O Conselho de Direitos Humanos da ONU em Genebra deve tomar medidas urgentes durante sua sessão atual para lidar com as graves violações de direitos humanos no Sri Lanka, disse a Human Rights Watch hoje em uma carta aos membros do conselho. A Human Rights Watch e outras organizações internacionais e do Sri Lanka de direitos humanos estão apelando pela criação de uma missão da ONU de monitoramento de direitos humanos para deter, monitorar e ajudar a investigar abusos feitos tanto pelas forças do governo como pelo grupo de oposição armada Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE).

Em uma carta enviada aos membros do conselho hoje, a Human Rights Watch realçou um padrão contínuo de violações de direitos humanos e da lei humanitária internacional feitas tanto pelo governo do Sri Lanka como pelo LTTE. Tais violações resultaram em centenas de civis mortos e feridos e no deslocamento de milhares de civis nos últimos meses.

“Tanto o governo como o LTTE são, há muito tempo, responsáveis por abusos graves, e as violações não terminarão sem um esforço internacional coordenado”, disse Brad Adams, diretor da divisão da Ásia da Human Rights Watch. “Para ajudar a salvar vidas, o Conselho de Direitos Humanos deve trabalhar com as partes relevantes para mobilizar urgentemente monitores de direitos humanos da ONU no local.”

A Human Rights Watch disse que abduções, matanças e desaparecimentos forçados com envolvimento de forças aliadas com o governo estão aumentando. As forças do governo continuam a ser cúmplices no uso de crianças-soldados pelo grupo Karuna. Um motivo de preocupação em particular é a perseguição da mídia, agências humanitárias e organizações não governamentais feita pelo governo, com base em alegações sem fundamento de que elas apóiam o LTTE. O LTTE continua a participar de matanças e a usar crianças-soldado.