Angola: Parar as Expulsões em Massa de Migrantes

O governo angolano deve suspender imediatamente a deportação de migrantes e refugiados oriundos da República Democrática do Congo e realizar uma investigação expedita e imparcial às alegações de abusos por parte das forças de segurança do Estado, anunciou hoje a Human Rights Watch. Mais de 400 000 pessoas foram forçadas a regressar ao seu país de origem ou fugiram de Angola durante o mês de Outubro de 2018, após uma operação que visou os trabalhadores da extração ilegal de diamantes na província de Lunda Norte, em Angola.

 

  • África
    Congolese migrants who were living in Angola carry belongings near the Congolese border town of Kamako, on October 12, 2018, after returning to their country following a security crackdown by Angolan authorities. © 2018 SOSTHENE KAMBIDI/AFP/Getty Images
    Angola: Parar as Expulsões em Massa de Migrantes
  • Empresas
    A indústria de diamantes continua manchada pela relação entre diamantes e abusos de direitos humanos, financiamento de conflitos e corrupção. Embora a indústria de diamantes não seja o único setor a enfrentar esse desafio, ela é única em sua particular indisposição e incapacidade de dar passos genuínos para atingir uma conduta empresarial responsável. Nós, abaixo assinados, representando diversas organizações da sociedade civil, unimos esforços para romper os vínculos entre diamantes e abusos, conflitos e corrupção, bem como para assegurar que os governos e indústrias envolvidos no setor desempenhem seu necessário e devido papel.
  • África
    Em 2017, os governos da África Austral reprimiram jornalistas, ativistas e políticos da oposição que criticaram abertamente a situação dos seus países, denunciou hoje a Human Rights Watch no Relatório Mundial de 2018.

News