Skip to main content

Honduras: Golpe Militar é um Retrocesso para a Democracia

OEA Deveria Aplicar Carta Democrática

(Washington, DC) -- A Organização de Estados Americanos (OEA) deveria agir rapidamente para impulsar o re-estabelecimento da democracia em Honduras após um golpe militar, a HumanRights Watch declarou hoje.

 

O golpe de estado aconteceu esta manhã, quando membros das forças armadas de Honduras supostamente detiveram o presidente democraticamente eleito Jose Manuel Zelaya.  A Human Rights Watch pediu que a OEA aplicasse urgentemente a Carta Democrática à situação em Honduras.

 

"A OEA tem um papel fundamental nesse momento.  Ela tem que encontrar rapidamente uma solução multilateral a essa ruptura com a democracia em Honduras," disse José Miguel Vivanco, director da divisão das Américasda Human Rights Watch.  "Permitir que esse golpe de estado permaneça seria um grande retrocesso no progresso em direção à democracia na região nas últimas décadas."

 

Na América Latina, a Human Rights Watch disse, o aumento na proteção dos direitos humanos tem caminhado lado a lado com o fortalecimento da democracia.

 

De acodo com relatos da imprensa tensões entre Zelaya eas forças armadas e a Corte Suprema vem aumentando durante toda a semana. Zelaya teria convocado uma consulta popular a nível nacional hoje sobre vários temas, incluindo a possibilidade de estabelecer uma assembléia constituinte para modificar a Constituição para deixar o presidente concorrer a um outro mandato.  As forças armadas se opuseram à consulta que a Corte Suprema do país teria declarado ilegal.

 

"Qualquer que seja o tamanho da complexidade e profundidade da polarização política no país, problemas políticos tem que ser abordados através de meios democráticos, não através da força," disse Vivanco.

Your tax deductible gift can help stop human rights violations and save lives around the world.

Região/País