O estado do Rio de Janeiro prometeu avanços na segurança pública em preparação para as Olimpíadas, mas não fez o suficiente para resolver o problema das execuções extrajudicias cometidas pela policia, um obstáculo central para a um policiamento mais efetivo. A polícia do Rio de Janeiro matou mais de 8.000 pessoas na última década, incluindo pelo menos 645 pessoas em 2015. O relatório concluiu que muitas dessas mortes foram provavelmente resultado do uso legítimo da força, mas muitas outras foram execuções extrajudiciais.