O relatório de 133 páginas analisa como deficiências sérias na política do governo e na implementação das empresas mineiras desenraizaram comunidades agrícolas maioritariamente auto-suficientes e reassentaram-nas para terrenos áridos longe dos rios e dos mercados. Estas comunidades têm passado por períodos de insegurança alimentar, ou, quando disponível, pela dependência na ajuda alimentar a curto prazo financiada pela Vale e pela Rio Tinto.

VIDEO: Moçambique: Reassentamentos devidos à Mineração interferem na Alimentação, água