O Dia Internacional das Pessoas Idosas chama a atenção global para os direitos humanos de pessoas idosas e oferece uma oportunidade para clamar contra a discriminação com base na idade, uma violação de direitos humanos que afeta a todos que almejam envelhecer com dignidade.

© Adobe Stock
 
Hoje, no Dia Internacional do Idoso, a Human Rights Watch se une a pessoas idosas e outros grupos para apoiar o lançamento da campanha “Ageing Equal” voltada a aumentar a conscientização global sobre os direitos humanos das pessoas idosas e acabar com a discriminação em função da idade. Essa é uma forma de discriminação sistmática que afetará qualquer pessoa que espera viver uma longa vida. Frequentemente o trabalho de promoção de direitos humanos desconsidera os direitos da população idosa.
 
Um novo relatório sobre a Estônia conduzido pela Comissária de Direitos Humanos do Conselho Europeu, Dunja Mijatović, mostra a importância de se monitorar a realização dos direitos fundamentais da pessoa idosa. Após uma visita ao país, em junho, Mijatović apelou que o governo da Estônia  “permita que idosos possam viver de forma independente e na comunidade pelo máximo tempo possível ou durante o tempo que desejarem”.

Durante a sua visita, Mijatović falou com pessoas idosas e visitou uma instituição para idosos. Em seu relatório, ela observou que "pessoas que, de alguma forma, seriam capazes de viver em seu ambiente familiar com a ajuda de serviços de apoio, são forçadas a se mudarem para casas de assistência social".

Seu relatório também descobriu que, entre 2012 e 2014, a Estônia aumentou em 80% o número de vagas para pessoas idosas em instituições. Em contraste, o governo só expandiu a rede de serviços de apoio doméstico em 10%. Dada essa disparidade, não é de se admirar que muitas pessoas idosas acabem em instituições.

As pessoas idosas não deveríam ser forçadas a viver em uma instituição porque o governo falha na criação de serviços necessários na comunidade. Em vez disso, o relatório diz que os governos deveríam "aumentar os serviços domiciliares e realocar progressivamente os residentes de grandes instituições para estruturas comunitárias menores".

Os idosos devem gozar de proteção igualitária em relação a todos os seus direitos, incluindo serviços de apoio que lhes permitam manter a vida independente em suas comunidades.

A campanha “Ageing Equal”, que reúne grupos que trabalham em toda a Europa e além, incluindo a Human Rights Watch, nos lembra que os direitos humanos não diminuem com a idade. Isso é algo pelo qual todos nós devemos ser gratos, não importa quão jovens possamos ser.